06/10/2018 a 01/12/2018

Somos todos atravessados pela cidade.

Mais do que algo externo, a cidade nos afeta, nos liga a lugares e pessoas, nos emociona, faz sentir e refletir.

A partir da ideia de partilha, convívio e construção coletiva de uma cartografia urbana, faremos encontros semanais durante os quais iremos explorar os espaços da cidade, utilizando a linguagem fotográfica. Como?

– Faremos saídas fotográficas por bairros e ruas de São Paulo. Quais espaços urbanos mais emocionam? Quais impressionam por sua beleza ou suas curiosidades? Iremos descobrir juntos.

– Teremos visitas guiadas a instituições culturais e museus, em busca de inspiração e aprofundamento conceitual.

– Durante os encontros, diversas trocas sobre as experiências pessoais e imagéticas podem acontecer.

– O convite é aberto a todos os interessados e não há necessidade de conhecimento prévio sobre fotografia para participar das atividades.

Informações

Orientadora: Dani Sandrini
Período: de 06 de outubro a 1 de dezembro
Horário: 8 encontros aos sábados – das 10 às 13hs
Nº Vagas: 15
Inscrições: Abertas para inscrições
Público: Todos interessados, com ou sem conhecimento prévio
Outras informações: direto com danisandrini@yahoo.com.br / (11) 99432-7933

Será que eu posso participar?

Sim, não há pré-requisitos. Todas as pessoas interessadas podem participar, independentemente da idade ou condição social e/ou psíquica.

Preciso ter câmera fotográfica?

Se tiver, ótimo! Se não tiver, você conseguirá participar mesmo assim, com as câmeras que pertencem ao projeto.

Preciso ter conhecimento prévio de fotografia?

Não, basta ter interesse e curiosidade!

Dani Sandrini
Arte-educadora e fotógrafa

 

Formada em comunicação pela USP e desde 1998 trabalha com fotografia, tanto comercialmente quanto como ferramenta em vivências lúdicas e educacionais.  Em 2009 começa a se dedicar aos seus projetos autorais em fotografia, atuando entre o Brasil e a Jordânia, onde foi premiada em 2014.

A partir de 2013 agrega os estudos de psicanálise e acompanhamento terapêutico aos saberes de arte e educação.

Já ministrou cursos, oficinas e intervenções artísticas em museus (Ema Klabin, Lasar Segall), centros culturais ou sociais (Imagemagica, Novolhar, Bixigão), Sescs do Estado de São  Paulo e em serviços de saúde psíquica, como ABRE/PROESQ (Programa de esquizofrenia) e CRIA (Centro de referência de infância e adolescência), ambos ligados à UNIFESP.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

limpar formulárioPostar Comentário