11/08/2018 a 08/12/2018

O objetivo do curso é a compreensão da arte produzida no Brasil, desde o “achamento” desse território, passando pelo florescimento da cultura religiosa no período colonial, o estabelecimento da Academia Imperial de Belas Artes e o advento da modernidade, até os dias de hoje. Serão contempladas as diversas versões de Brasil que emergem da obra dos artistas europeus transplantados para os trópicos ao longo das três primeiras centúrias, as dos viajantes que registraram o país no século XIX, assim como a criação em forma visual dos mitos nacionais pelos artistas formados pela Academia, as experimentações dos modernistas e a chegada da abstração. Dentro dessa linha histórica, será identificado um imaginário nacional e seus momentos cruciais para a definição dos parâmetros de uma cultura local. O curso também abordará as transformações vividas pelo ambiente artístico brasileiro a partir da década de 1950 com o embate figuração/abstração e suas consequências.

11 de agosto
Antecedentes europeus

18 de agosto
A transposição de uma cultura visual e breve interlúdio batavo

25 de agosto
A tradição colonial

01 de setembro
A chegada da Família Real e artistas viajantes

15 de setembro
A Academia Imperial de Belas Artes

22 de setembro
Dois mestres da Academia: Pedro Américo e Victor Meirelles

29 de setembro
O alongado fim do século XIX

6 de outubro
O modernismo

20 de outubro
Lasar Segall: o eterno caminhante

27 de outubro
A ressaca do modernismo

17 de novembro
Caminhos da modernidade

24 de novembro
O embate figuração abstração

1 de dezembro
Lygia Clark, Lygia Pape e Hélio Oiticica

8 de dezembro
Da década de 1970 até hoje

Informações
Professor: Giancarlo Hannud
Datas: 11/08/2018 a 08/12/2018
Horário: sábado das 11h00 às 13h00
Nº de vagas: 80 (mínimo de 10)
Inscrições: abertas na recepção do museu ou pelo e-mail acamls@acamls.org.br